BRASIL PRA FRENTE

BRASIL PRA FRENTE!
O RIO DE JANEIRO DE PÉ PELO BRASIL!





















terça-feira, 30 de maio de 2017

Requião pergunta se retirada de apoio a Renan será compensada com mala...

Seminário “Estado de Direito ou Estado de Exceção?”





TEXTO DO DISCURSO

Quem quer ser universal, canta a sua aldeia.
Lembro-me desta frase de Marshall McLuhan, que era dita nos momentos em que, na falta de partidos e sindicatos fortes, a juventude se transformava na linha de frente na luta contra a ditadura e pelas eleições diretas.
Sei o que é o uso da Lei, do Ministério Público e do Judiciário contra um governo e contra uma política popular. Sofri isso desde os primeiros dias em que governei o Paraná, primeiro na década de 90, depois nos anos 2000.
Mas porque foi assim?
Em uma palestra recente, o general Villas Boas chama a atenção para o que ocorreu e está ocorrendo no Brasil, nessas últimas décadas. Até os anos 80, tínhamos, de uma forma ou de outra, um projeto nacional de desenvolvimento. E o Brasil produzia, industrialmente, mais que a Coréia do Sul, Tailândia, Malásia e China, somadas. Hoje, não chegamos a 15 por cento da produção chinesa.
Por que?
O general Villas Boas destaca a adesão do Brasil aos princípios da Guerra Fria. Deixamos de ter um projeto nacional e inserimo-nos de cabeça na disputa entre os Estados Unidos e a União Soviética. O liberalismo norte-americano e o comunismo.
Deixamos de ter um projeto nacional e dividimos a nossa sociedade, com as supostas e pretendidas elites estabelecendo uma discriminação odiosa a tudo o que parecesse ser de esquerda, pró comunismo. E esse passou a ser também o comportamento do Judiciário, do Ministério Público, das Polícias Federal, Militar e Civil.
Enquanto isso, Brasil perdia a perspectiva de um projeto nacional e via o seu desenvolvimento encolher, estiolar-se.
O general Villas Boas observa que podemos entrar novamente em uma outra Guerra Fria.
Agora, não mais a contraposição de ideologias e sim geopolíticas, com uma divisão de trabalho que nos coloca na condição de produtores de matérias primas, com um baixo nível de industrialização, e sob o domínio da financeirização econômica.
É neste momento, a meu ver, com informações que os serviços de inteligência norte-americanos obtiveram com o controle da internet e de escutas telefônicas, que se deflagra a campanha contra a corrupção.
Uma corrupção endêmica e sistêmica no processo eleitoral brasileiro, mas que passa a servir de biombo para o desmonte do que ainda remanescia do sonho de um Estado Nacional Soberano no Brasil.
A hermenêutica dos juízes e a manipulação das leis não conhecem mais limites, dando cobertura a reformas que destroçam os direitos dos trabalhadores e minam as bases de um Estado Soberano.
Brasil produtor de commodities minerais e agrícolas; venda de terras para estrangeiros, sem limite de extensão; precarização absoluta do trabalho.
Enfim, Brasil celeiro do mundo e trabalho semiescravo, à disposição dos capitais hegemônicos do planeta. Adeus a um país soberano!
Mas quais são as alternativas?
Temos o exemplo do New Deal norte-americano, com grandes investimentos públicos, redução da carga horário dos trabalhadores e aumento salarial, para que o mercado interno alavancasse o país.
Temos o exemplo da Nova Política Econômica Alemã, com a redução brutal dos juros da rolagem da dívida e a criação do MOFE, a moeda não-moeda e a garantia de rentabilidade para que o capital fosse investido em grandes projetos públicos de infraestrutura.
Hjalmar Schacht, Taylor, Ford, tudo sistematizado e inovado por Maynard Keynes.
Este é um caminho.
A partir desta introdução da visão ideológica que contamina o Direito, caiu-me às mãos o relatório do Projeto de Lei que regulamenta a punição ao abuso de autoridade.       
Não tenho intenção de me ater à literalidade do tema proposto para este seminário.
Aos 76 anos, há mais de 60 anos debatendo, protestando, agitando, marchando, denunciando, assinando manifestos, posso me autoconceder indulgência plenária, absolvendo-me da indisciplina de fugir do script.
Acredito que não sejam apenas eu, minhas sete décadas e seis anos de vida que estejam cansados das palavras, das análises de conjuntura, das denúncias, da revelação do mais recente escândalo, da última trapalhada da direita, do genial artigo de fulano, beltrano …. e coisa e tal.
Chega.
Todos os temas foram expostos e suficientemente aclarados. Não há mais o que discutir.
Discutir que este maldito é antinacional, antipopular e antidemocrático?
Quem é que não sabe?
Discutir que as reformas trabalhista e previdenciária servem apenas ao patrão e ao capital?
Há ainda alguém que ignore ou que duvide?
Discutir o abuso de autoridade?
Discutir que os juros são extorsivos, que não se retoma o crescimento econômico sem investimentos públicos, que o protecionismo é indispensável para o fortalecimento da indústria nacional, que nenhum país se desenvolve ancorando sua economia nas commodities, agropecuárias e minerais?
Que novidade há nisso?
Discutir, denunciar que estão entregando petróleo, terras, minérios, os ares, os mares e as florestas?
Quem é que desconhece?
Passar horas acessando blogs de esquerda e se comprazendo com que se lê, satisfazendo-se e sentindo-se vingado dos fascistas?
Para quê?
Assomar as tribunas, qualquer tribuna, para denunciar os descalabros e desmandos na educação, na saúde, o desmonte do SUS, desse e daquele programa?
E daí?
Companheiros. Amigos e amigas que comigo dividem o pão amargo desses dias. Não faltaram palavras, não faltou uma vírgula sequer em nossos discursos, em nossos artigos, em nossos debates.
Dissemos tudo!
Dissemos tudo, uma, duas, mil vezes!
O que então estamos esperando para cruzar o rio, para jogar a cartada decisiva de nossas vidas?
Senhores, senhoras, convençam-se: não há mais espaço para a conversa, para os bons modos.
Os nossos adversários só dissimulam cordialidade e gentileza enquanto não pisamos nos calos de seus interesses.
Precisamos de uma vez por todas, definitivamente, convencermo-nos de que a direita julga o poder como seu por direito, uma atribuição inseparável de sua classe, a ela concedido e dela inconquistável.
Já falei mais de uma vez, na tribuna do Senado, sobre as reflexões finais de François Miterrand. Tomado pelo câncer, ciente da morte próxima, o presidente francês, apesar de todas as concessões feitas aos liberais, fala sobre a longa disputa com a direita, em seu país e na Europa.  E conclui que não existe a possibilidade de uma disputa leal, realmente democrática, aberta com a direita.
Porque a direita considera o poder como seu como os monarcas absolutistas julgavam-se governantes por determinação divina.
Examinem a história brasileira.
Estivemos efetivamente algum dia no poder? Detivemos efetivamente o poder?
Ou fomos apenas governos, estivemos apenas no governo, em governos limitados, cercados, vigiados e constrangidos pelo poderio midiático e econômico da direita entreguista?
Ainda assim, por quanto tempo permanecemos no governo, antes que fôssemos golpeados?
Ah, deus meu! Quanta ilusão! Como a soberba, a arrogância, as tentações, a vaidade cegaram-nos.
Era claro que o poder não era nosso. Era claro que éramos tão-somente intrusos, tolerados, amaciados, acarinhados, paparicados. Era claro que a maioria na Câmara, no Senado, nas Comissões era uma maioria enganosa e oportunista e que jamais votaria qualquer coisa que contrariasse os verdadeiros detentores do poder.  
É isso que buscamos quando falamos de candidaturas e não de um projeto de poder?
Queremos voltar ao governo para quê? Para sermos novamente golpeados, quando ousarmos ultrapassar os estreitos limites que eles reservam para os nossos movimentos?
Recusemos o governo!
Queremos o poder!
Queremos candidaturas?
Antes das candidaturas, vamos tramar, tecer, conjurar, conspirar um projeto de poder. E que as candidaturas sejam dele decorrentes.
Doe-me a idade, doem-me as frustrações. Mas, sobretudo, sangra e dói a alma quando vejo que marcamos passos nos mesmos erros.
Os nossos interesses, os interesses dos trabalhadores, dos agricultores, dos estudantes, da pequena burguesia, dos intelectuais, dos funcionários públicos, dos professores, dos profissionais liberais são inconciliáveis com os interesses dos donos do poder. Os propósitos nacionais, democráticos e populares são dissonantes com os propósitos deles.
Como diz o Lindbergh, não temos elites, temos classes dominantes.
E essa incompatibilidade, essa inconciliação deve ser resolvida como?
Primeiro, com o reconhecimento e a aceitação do antagonismo.
E, a partir disso com a fundação de um projeto de poder próprio, que tenha como norte os propósitos nacionais, populares e democráticos das classes e dos setores de classe desvinculados do grande capital, nacional e global.
Não um plano de governo! E sim um projeto de poder!
Um Projeto Nacional. O projeto desejado pelo general Villas Boas.
Um projeto para o Brasil, para os brasileiros, porque essas supostas elites se comportam como as elites dos países mais desenvolvidos, ancoradas no capital financeiro e sem nenhuma visão de solidariedade, de amor, de perspectiva de vida para os mais pobres.
Com a Bíblia e o Papa Francisco repetimos: não se pode servir a Deus e a Mamon, sendo que Mamon não é outro Deus ou o diabo e sim uma palavra hebraica que significa singela e simplesmente o dinheiro.

quinta-feira, 25 de maio de 2017

ORAÇÃO DE SÃO FRANCISCO DE ASSIS



Senhor,

Fazei-me instrumento de vossa paz
Onde houver ódio que eu leve o amor
Onde houver ofensa que eu leve o perdão
Onde houver discórdia que eu leve a união
Onde houver dúvidas que eu leve a fé
Onde houver erro que eu leve a verdade
Onde houver desespero que eu leve a esperança
Onde houver tristeza que eu leve a alegria
Onde houver trevas que eu leve a luz

Oh, Mestre!
Fazei que eu procure mais
Consolar, que ser consolado
Compreender, que ser compreendido
Amar, que ser amado
Pois é dando, que se recebe
É perdoando, que se é perdoado
E é morrendo, que se vive
Para a vida Eterna.

Defender o Brasil.

Defender o Brasil.


O Exército de Duque de Caxias não pode ser capitão do mato do povo brasileiro e não será.
A função das Forças Armadas é defender a pátria. Prendam os traidores da pátria.
Cadeia para Temer e sua quadrilha!
Frente Popular Getulista Libertação Nacional.

segunda-feira, 22 de maio de 2017

BRASILEIROS INESCRUPULOSOS.











"Subvencionarão brasileiros inescrupulosos, seduzirão os ingênuos e inocentes. Em nome de um falso idealismo e de uma falsa moralização, dizendo atacar sórdido ambiente corrupto, que eles mesmos, de longa data, vêm criando (...), evitar a libertação nacional e prejudicar a organização do povo. (...) É preciso conservar aceso o fogo sagrado e vigilante do nosso patriotismo e do nosso devotamento à causa pública. E, fazendo isso, estaremos construindo, lentamente, a independência econômica e lutando contra os seus principais inimigos, que são o imperialismo, na esfera internacional, e a exploração do homem pelo homem, no meio interno". GETÚLIO VARGAS

MAIS BOMBA STF PERGUNTA!QUEM ERA O PRESIDENTE DO JBS - HENRIQUE MEIRELLES?




Está explicado porque o ministro Henrique Meirelles e sua equipe divulgaram uma informação mentirosa ao Brasil quando a questão de sua ligação com a JBS  o incomodou!

Henrique Meirelles, a grande unanimidade das elites do país, que insistem em colocá-lo acima de qualquer suspeita, tem um “detalhe” em sua biografia que a imprensa golpista deixou passar: 
  • ele era o presidente do grupo durante os anos em que o JBS repassou ao redor de meio bilhão de reais aos políticos, com carta branca dos donos. 
  • Uma de suas responsabilidades era exatamente o contato com o mundo político. 
  • Não é incrível? 
  • E não sabia de tudo? 
  • Ele viu nada? 
  • Ele  “trocava figurinhas” com o agora mega delator e seu ex-patrão Joesley Batista?
MOMENTO DE SER PRESO POR OBSTRUÇÃO FA JUSTIÇA

  • Se sabia, é inexplicável que não tenha ainda entrado na dança. 
  • Se sabia e atuou em parceria com Joesley, mais grave ainda. 
  •  Se não sabia, bem… se Meirelles foi o presidente do grupo entre 2012 e 2016 e não soube que saíram R$ 500 milhões do caixa das empresas, nas mãos de quem está a economia do país?
AS MENTIRAS DE HENRIQUE MEIRELLES!

O ministro e sua equipe divulgaram uma informação mentirosa ao Brasil quando a questão de sua ligação com a JBS incomodou: 
  • numa nota oficial do Ministério da Fazenda à imprensa em setembro de 2016 afirmou-se que Meirelles “se limitava a prestar consultoria” ao grupo. 
  • A imprensa golpista, agora engalfinhada em torno da permanência ou não de Temer, engoliu a história e o cargo fictício criado para Meirelles, que seria presidente de um tal Conselho Consultivo, que não existe, com o claro objetivo de reduzir a responsabilidade do ministro –leia aqui uma reportagem sobre a nota do Ministério e a invenção do “Conselho Consultivo”.
Meirelles nunca foi presidente deste “Conselho Consultivo” inexistente, 
  • e sim presidente do Conselho de Administração do grupo JBS entre 2012 e até sua entrada no governo Temer em 2016. 
Tinha poderes amplos no grupo. A reportagem da revista Exame que anunciou a contratação de Meirelles, em 2012, quase um press release do grupo, tinha um título significativo: 
  • “O preço de Meirelles para o JBS” –ao redor de R$ 40 milhões por ano! Na reportagem, Joesley Batista afirmou taxativamente:
  • “O Meirelles não vai ser apenas um consultor. Vai cobrar resultados dos executivos e traçar estratégias para a expansão do negócio; agora é com ele.” Muito longe da versão do Ministério da Fazenda em 2016. 
Logo abaixo do título da reportagem, uma frase explicitava o poder e o preço de Meirelles: “Joesley Batista deu carta branca e uma montanha de dinheiro ao ex-presidente do Banco Central”. Mas há mais. 

Leia mais estre trecho da reportagem/press release: “‘Além de ter excelentes conexões empresariais, ele transita muito bem no governo.’ (Meirelles interrompeu a entrevista no dia 9 de março para receber o ministro Fernando Bezerra Coelho, da Integração Nacional, na sede da J&F, no Alto de Pinheiros, zona oeste de São Paulo.)” – se quiser, leia toda a reportagem aqui.

Os Conselhos de Administração das empresas de capital aberto deixaram de ser há mais de 20 anos os órgãos decorativos que foram no século XX. Eles orientam, controlam e, por meio de comitês, exercem funções executivas nas grandes empresas. 
  •  Não é diferente na JBS, ao contrário do que Meirelles quis fazer crer meses atrás. Veja no site do grupo para investidores que sequer existe o tal “Conselho Consultivo” soprado pela equipe do Ministério aos jornalistas da imprensa conservadora, que engoliram sem sequer um clique no site: 
  • clique você aqui; em seguida, clique na aba Informação Corporativa e você verá que o que existe mesmo é um Conselho de Administração. Se você for até a área do Conselho no site, lerá: “O Conselho de Administração da Companhia é o órgão responsável por, em outras questões, determinar as suas políticas e diretrizes dos seus negócios. O Conselho de Administração também supervisiona a Diretoria (…)”.

Dá pra acreditar que como presidente do grupo ele não soube de nada? 
Não viu? 
Não leu? 
  • Sumiram R$ 500 milhões dos cofres do grupo e Meirelles não soube? 
  • Se ele soube, deve entrar nos processos em curso. 
  • Se ele não sabia de nada mesmo, deve ser interditado, porque deixar um néscio assim como ministro da Fazenda do Brasil é um risco sem medida.
A nossa economia corre o risco de sucumbir com Meirelles nesta situação!


http://gloptaredeonline.blogspot.com.br/

ESCAFEDEU-SE :Requião censura “ministro fujão”

O PICARETA





Vejam que diz esse picareta. Ainda se diz evangélico. Esse falso moralista. Canalha! 

terça-feira, 16 de maio de 2017

FRENTE POPULAR GETULISTA DE LIBERTAÇÃO NACIONAL





O BRASIL ESTA DE PE!
Lançamos publicamente a Frente Popular Getulista de Libertação Nacional.(19/4/2017)
Grande sucesso, com muita receptividade. Nos mostra que Getúlio Vargas esta vivo nos corações e mentes dos brasileiros. 
Viva Getúlio Vargas! 
Viva o Brasil livre e independente! 
Lutar, resistir e vencer.
Construir um novo Brasil, como lutou Getúlio Vargas.


Dia 19 de abril em 1883 nascia este grande brasileiro Getúlio Dorneles Vargas.
Liderou umas maiores revoluções ocorrida no século passado.
Devolveu o Brasil aos brasileiros. 
O Brasil a partir desta revolução passou a afirmar cada vez mais sua soberania e socialmente mais justo.
Pode-se falar de todas as conquistas seja no campo social, trabalhistas, seja no campo econômico como: a criação da CTPS, férias, licença maternidade, salário mínimo, jornada de 08 horas, previdência social, fortalecimento dos sindicatos, justiça do trabalho, IAPIS, IAPETC, IAPAS, concursos públicos e etc.
No econômico criação da PETROBRAS, VALE DO RIO DOCE,NACIONAS, FNM, CSN, ELETROBRÁS. A industria privada nacional se fortaleceu.
Construiu milhares de quilômetros de estadas de ferro, ligando o Brasil de norte a sul, milhares de casas foram construídas, fortaleceu a industria naval, construiu centenas de açudes no nordeste fortaleceu as Forças Armadas.
Inúmeras foram as conquistas da “revolução de 1930”, apesar da resistência daqueles que foram derrotados(1932) e da Segunda Guerra Mundial, da guerra inter-imperialista.
Hoje o mundo cada vez se fecha, o capitalismo internacional cada vez mais esta em crise, com a concentração da riqueza na mãos de poucos, espalhando a miséria por todo o planeta em um mundo com abundancia em riqueza. O capitalismo precisa ser superado para felicidade de toda a humanidade.
A afirmação da nossa soberania, independência, será a única maneira de resolvermos o problema do Brasil e darmos nossa grande contribuição para a libertação da humanidade contra a opressão.
Precisamos construir uma grande Frente Popular Getulista de Libertação Nacional, pois Getúlio Vargas é a nossa referencia de independência, soberania, justiça social.
Quando o bandido canalha do chefe do PSDB, FHC, disse que iria a acabar com a “Era Vargas”, sinalizou qual é a intenção, o projeto deles, que é “vender” nossas riquezas para os interesses e colocar o Brasil de joelhos diante do imperialismo principalmente dos EUA.
Mas o Brasil não se curvou e o derrotou por quatro vezes nas eleições para presidente da república.
O Brasil esta de pé!.
O grande líder revolucionário o brasileiro Getúlio Vargas nos deixou um legado e nos conclamou e convoca a todos os brasileiros:
"Quando vos humilharem, sentireis minha alma sofrendo ao vosso lado. Quando a fome bater à vossa porta, sentireis em vosso peito a energia para a luta por vós e vossos filhos. Quando vos vilipendiarem, sentireis no pensamento a força para a reação. Meu sacrifício vos manterá unidos e meu nome será a vossa bandeira de luta. Cada gota de meu sangue será uma chama imortal na vossa consciência e manterá a vibração sagrada para a resistência.”
O nome de Getúlio Vargas é nossa bandeira de luta.
Que tremam os canalhas, vendidos, pois o povo brasileiro não se curva, não se submeterá, não deixaremos que roubem nossa pátria e nos coloquem na miséria. Jamais nos renderemos.


FRENTE POPULAR GETULISTA DE LIBERTAÇÃO NACIONAL



Vamos lutar, resistir e vencer e construir um novo Brasil, como lutou Getúlio Vargas.
“Mas esse povo de quem fui escravo não mais será escravo de ninguém”.

 ABAIXO NOSSAS IDEIAS E PROPOSTAS:
1. SUSPENSÃO DO PAGAMENTO DAS DÍVIDAS EXTERNAS E INTERNA ( COM PLEBISCITO POPULAR)
2. REFORMA AGRÁRIA AMPLA,
3. ELEIÇÕES DIRETAS EM TODOS OS NÍVEIS.
4. ANULAÇÕES DE TODOS OS ATOS DOS GOVERNOS ANTERIORES QUE AFETEM A SOBERANIA E A INDEPENDÊNCIA DO ECONÔMICA DO BRASIL, OS DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS E TRABALHISTAS E SOCIAIS.
5. REESTATIZAÇÃO DE PORTOS, AEROPORTOS, ESTRADAS, VALE DO RIO DOCE, LIGHT, EMBRATEL, PETROBRAS, CSN, USIMINAS, METRO, TRENS.
6. ESTATIZAÇÃO DO SISTEMA FINANCEIRO.
7. CONTROLE E LIMITAÇÃO EM 10% DAS REMESSAS DE LUCROS DE EMPRESAS ESTRANGEIRAS.
8. REESTRUTURAÇÃO E REARMAMENTO DAS FORÇAS ARMADAS, COM ÊNFASE NA AMPLIAÇÃO DA DEFESA DE NOSSAS FRONTEIRAS, DO NOSSO MAR, AR E OCUPAÇÃO EFETIVA DA REGIÃO AMAZÔNICA.
9. INVESTIMENTOS NA REESTRUTURAÇÃO DA EDUCAÇÃO EM TODOS OS NÍVEIS, COM ÊNFASE NO DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E NA QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL.
10. DEMARCAÇÕES DEFINITIVAS DAS TERRAS INDÍGENAS E QUILOMBOLAS
11. REINVERSÃO DE TECNOLOGIAS E REMESSA DE LUCRO DE EMPRESAS ESTRANGEIRAS
12. CONSTRUÇÃO IMEDIATA DE 3 MILHÕES DE UPAS, CLINICAS DA FAMÍLIAS E 50 HOSPITAIS EM CADA ESTADO E CONCURSO PARA OS PROFISSIONAIS DA ÁREA DE SAÚDE.
13. AUMENTO DE 100% DO SALARIO MINIMO EXTENSIVO AS APOSENTADORIAS.
14. APOSENTADORIA AOS 25 ANOS DE TEMPO DE SERVIÇO.
15. SALARIO MINIMO PARA AS MULHERES “DONAS DE CASA” QUE NÃO POSSUEM RENDA.
16. REDEFINIÇÃO DA POLÍTICA AGRÁRIA, PROIBIÇÃO DO USO DE SEMENTES TRANSGÊNICAS E SEUS DEFENSIVOS.
17. REESTRUTURAÇÃO DO PARQUE INDUSTRIAL BRASILEIRO, ATRAVÉS DE FINANCIAMENTO DIRETO ESTATAL. 
18. CONSTRUÇÕES DE CASAS POPULARES, ATENDENDO A DEMANDA HABITACIONAL, COM A CONSTRUÇÃO DE 30 MILHÕES DE CASAS.
19. APLICAÇÕES DE POLÍTICAS PROPOSITIVAS PARA A POPULAÇÃO NEGRA E INDÍGENA
20. REDEFINIÇÃO DOS TRIBUNAIS DE JUSTIÇA COM ELEIÇÃO DIRETA DE SEUS MEMBROS, DE TODAS AS INSTANCIAS. CONTROLE SOCIAL DE SUAS AÇÕES COM LIMITAÇÃO DE MANDATOS.
21. FINANCIAMENTO ESTATAL DE CAMPANHA. FIM DA URNA ELETRÔNICA, VOTO DEVERA SER IMPRESSO OU MANUAL.
22. FIM DO FORO PRIVILEGIADO PARA TODOS OS PODERES E PRISÕES ESPECIAIS PARA TODOS OS NÍVEIS.
23. DEMOCRATIZAÇÃO DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO, FIM DOS MONOPÓLIOS.
24. FORTALECIMENTO DA CULTURA NACIONAL E REGIONAL.
25. REFORMA TRIBUTÁRIA COM TAXAÇÃO DE IMPOSTOS AS GRANDES FORTUNAS.
26. FORTALECIMENTO DAS EMPRESAS PRIVADAS NACIONAIS NA INDÚSTRIA E COMERCIO.
27. APOIO AS PEQUENAS E MÉDIAS PROPRIEDADES RURAIS, ASSIM COMO AS GRANDES PROPRIEDADES RURAIS PRODUTIVAS.
28. CONTROLE DAS RIQUEZAS NACIONAIS, PELO ESTADO, COMO NIÓBIO, URÂNIO, E O PRÉ-SAL.
29. CONCURSO PÚBLICO EM TODAS AS ESFERAS DA UNIÃO, ESTADOS E MUNICÍPIOS, FIM DAS CONTRATAÇÕES PRIVADAS.
30. CRIAÇÃO DOS CONSELHOS POPULARES GETULISTAS NOS LOCAIS DE TRABALHO, NAS ESCOLAS, UNIVERSIDADES, NOS ÓRGÃOS PÚBLICOS, NOS BAIRROS, COM O OBJETIVO DE MAIOR CONTROLE POPULAR DOS SERVIÇOS E DINHEIRO PUBLICO.
FRENTE POPULAR GETULISTA DE LIBERTAÇÃO NACIONAL

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Quem são os terroristas?


GENERAL AMERICANO EXPÕE O ROUBO E O INTERVENCIONISMO DOS EUA PELO MUNDO.


"fui um quadrilheiro, um gangster para o capitalismo".
GENERAL SMEDLEY DARLINGTON BUTLER *

Passei 33 anos e quatro meses no serviço ativo, como membro da mais ágil força militar do meu país - o Corpo de Fuzileiros Navais. Servi em todos os postos, desde segundo-tenente a general. E, durante tal período, passei a maior parte de meu tempo como guarda-costas de alta classe, para os homens de negócios, para Wall Street e para os banqueiros. Em suma, fui um quadrilheiro, um gangster para o capitalismo. [...]Eu ajudei a estuprar meia dúzia de repúblicas da América Central em prol dos lucros de Wall Street [...] Ajudei a "limpar" a Nicarágua para os interesses da casa bancária internacional dos Brown Brothers, em 1909-1912. Trouxe a luz à Republica Dominicana para os interesses açucareiros norte-americanos em 1916. Ajudei a fazer de Honduras um lugar "adequado" às companhias frutíferas americanas, em 1903. Na China, em 1927, ajudei a fazer com que a Standard Oil continuasse a agir sem ser molestada. Durante todos esses anos, eu tinha, como diriam os rapazes do gatilho, uma boa quadrilha. Fui recompensado com honrarias, medalhas, promoções. Voltando os olhos ao passado, acho que poderia dar a Al Capone algumas sugestões. O melhor que ele podia fazer era operar em três distritos urbanos. Nós, os fuzileiros navais, operávamos em três continentes.

"A guerra é apenas uma extorsão. Uma extorsão é melhor descrita, creio, como algo que não é o que parece ser para a maioria das pessoas. Somente um pequeno grupo que está por dentro sabe o que significa. Ela é conduzida para o benefício dos muito poucos à custa das massas.

Eu acredito numa adequada defesa da costa e mais nada. Se uma nação vem até aqui para lutar, então nós lutaremos. O problema com os Estados Unidos é que quando o dólar só rende 6% aqui, então fica-se inquieto e vai-se para o exterior a fim de conseguir 100%. Em seguida, a bandeira segue o dólar e os soldados seguem a bandeira.

Eu não iria para a guerra de novo, como eu fui, para proteger algum investimento nojento dos banqueiros. Existem somente duas coisas pelas quais nós deveríamos lutar. Uma é a defesa de nossos lares e a outra é a Declaração de Direitos. Guerra por qualquer outra razão é simplesmente uma extorsão.

Não existe uma trapaça no saco de extorsões para a qual a gangue militar esteja cega. Ela tem seus “homens-dedo” para apontar inimigos, seus “homens-músculo” para destruir inimigos, seus “homens-cérebro” para planejar os preparativos de guerra, e um “Grande Chefe” Super-Nacionalista-Capitalista.


Pode parecer estranho que eu, um militar, adote tal comparação. A exatidão me compele a isso. Eu passei trinta e três anos e quatro meses no serviço militar ativo como um membro da mais ágil força militar deste país, o Corpo de Fuzileiros Navais. Eu servi em todos os postos comissionados desde segundo-tenente a general-de-divisão. E durante este período, eu passei a maior parte do meu tempo sendo um homem-músculo de alta classe para o Big Business, para Wall Street e para os banqueiros. Em resumo, eu era um extorsionário, um gângster para o capitalismo.

Eu suspeitava, nessa época, que era apenas parte de uma extorsão. Agora eu estou certo disso. Como todos os membros da profissão militar, eu nunca tive um pensamento meu próprio até que deixei o serviço. Minhas faculdades mentais permaneceram em animação suspensa enquanto eu obedecia às ordens dos superiores. Isto é típico com qualquer um no serviço militar.

Eu ajudei a fazer o México, especialmente Tampico, seguro para os interesses das empresas de petróleo americanas, em 1914. Eu ajudei a fazer do Haiti e de Cuba lugares decentes para que os rapazes do National City Bank arrecadassem rendimentos. Eu ajudei a estuprar meia dúzia de repúblicas da América Central em prol dos lucros de Wall Street. O registro de extorsões é grande. Eu ajudei a purificar a Nicarágua para a casa bancária internacional dos Brown Brothers em 1909-1912 (onde eu tinha ouvido esse nome antes?). Eu trouxe luz na República Dominicana para os interesses dos usineiros americanos em 1916. Na China, eu ajudei para que a Standard Oil seguisse seu caminho sem ser molestada.

Durante aqueles anos, eu participei de uma expansão da extorsão. Olhando para trás, sinto que poderia ter dado a Al Capone umas poucas sugestões. O melhor que ele pôde fazer foi operar suas extorsões em três distritos. Eu operei em três continentes.”


* Transcrito de um discurso do general em 1933

sexta-feira, 12 de maio de 2017

DOSSIÊ “Moro" . Quem é esse juiz tão ensalçado pela grande mídia vassala. Um clone defeituoso de Lacerda.


1 – Nascido em em Ponta Grossa, em 1° de agosto de 1972, é filho de professor de Geografia da Universidade de Estadual de Maringá, Dalton Áureo Moro, morto em 2005, um dos fundadores do PSDB do Paraná, conhecidíssimo por suas ideias ultra-direitistas e por espinafrar qualquer um que tivesse ideologia de esquerda;

2 - Graduado em Direito pela UEM – Universidade Estadual de Maringá, em 1995, obteve posteriormente os títulos de mestre e doutor em direito pela Universidade Federal do Paraná. Através de seu orientador, Marçal Justen Filho, tentou ser professor da UFPR, mas queria ludibriar o regime de TIDE (tempo integral e dedicação exclusiva) da Universidade, mantendo o emprego na Magistratura e na UFPR ao mesmo tempo, e perdeu. Especializou-se em crimes financeiros e tornou-se juiz federal em 1996, ou seja, três anos apenas depois de se graduar (o que deve ser um recorde), e atua, até hoje, sem a carteira de advogado, pois nunca fez o exame da OAB;

3 - Cursou o 'Program of Instruction for Lawyers' na 'Harvard Law School' e participou de programas de estudos sobre lavagem de dinheiro no 'International Visitors Program', promovido pelo Departamento de Estado Americano;

4 – Seu primeiro serviço foi no escritório do advogado tributarista Dr. Irivaldo Joaquim de Souza, que foi advogado de Jairo Gianoto, ex-prefeito de Maringá pelo PSDB, entre 1997 a 2000, que foi condenado e preso por gestão fraudulenta - a quem moro serviu como testemunha de defesa, já como juiz de primeira instância;

5 - Tem como esposa a dra. Rosângela Wolff de Quadros Moro, uma advogada cujo escritório trabalha para o governo tucano do Paraná de Beto Richa, e assessora a megacorporação SHELL, uma das principais multinacionais imperialistas na área de petróleo. Recentemente, a esposa de Sergio Moro foi flagrada participando de desvios das verbas da APAE, num 'deja vü' de Rosane Collor, 'ex-posa' do ex-presidente Fernando Collor, que também participava de desvios de dinheiro dá instituição que cuida dos excepcionais;

6 – É Maçom e vive pregando em Igrejas Evangélicas, junto com outro juiz, pastor e notório anti-petista, anti-Brasil e baba-ovo dos EUA, formado por Harvard, o procurador 'Deltan POWERPOINT Dallagnol', que não tem provas mas muitas convicções, que a Lava-Jato tem auxílio de 'Deus';

7 - Em 2003, Moro julgou o escândalo do BANESTADO, que envolveu remessas ilegais de mais US$ 124 bilhões (R$ 520 BILHÕES) ilegalmente, para os EUA, no final da década de 90 - para se ter uma ideia, o montante estimado que foi desviado na PETROBRAS é de cerca de US$ 20 BILHÔES). Neste caso, onde só foram para cadeia alguns laranjas e doleiros sem nenhuma importância, o juiz contou com a ajuda do doleiro ALBERTO YOUSSEFF, natural de Londrina-PR, e ignorou solenemente suas delações contra JAIME LERNER e ÁLVARO DIAS, membros do alto tucanato do Paraná, que tiveram suas campanhas amplamente financiadas pelo doleiro, além de utilizar várias vezes o seu jatinho particular;

8 - Em 2010/12, Moro foi assessor da Ministra ROSA WEBER (coincidentemente, prima da esposa do candidato AÉCIO NEVES, e cujo filho, DEMÈTRIO WEBER, trabalha na REDE GLOBO - de quem o 'juizmoro' recebeu premiação e foi projetado nacionalmente como o caçador de 'corruPTos'), no julgamento televisivo do Mensalão do PT, a famigerada AP-470, quando promulgou o famoso e famigerado voto: "Não tenho provas contra você, Zé Dirceu, mas vou condená-lo mesmo assim, porque assim permite a literatura jurídica";

9 - Em 2014, através de escutas plantadas nas empresas do José Janene (PP) um dos cabeças do caso do 'Mensalão', a PF chega ao doleiro Carlos Habib Chater, que tinha como base de atuação o Posto da Torre, em BRASÍLIA (daí o nome de 'Operação LAVA-JATO'). Nesse momento surge em cena novamente a figura do Doleiro ALBERTO YOUSSEFF (codnomes: 'Primo' e 'Beto'), captado em escutas telefônicas. Yousseff, então, é preso e concorda em fazer delação premiada novamente, e o 'juizmoro' dá início, em CUritiba, à Operação LAVA-JATO, que tem por escopo investigar as denúncias de desvios na PETROBRAS (que tem sede no Rio de janeiro), e torna notório o bordão "NÃO VEM AO CASO", emitido pelo juiz todas as vezes que as delações incriminam ou lançam suspeitas sobre TUCANOS, ou qualquer um que não pertença ao PT;


10 – Após 3 anos de Operação Lava-Jato e suas intermináveis fases, e idas e vindas, sob o comando do 'juizmoro' - que, notadamente, recebe salário muito acima do teto constitucional, e que viaja com frequência aos EUA para trocar 'informações' com os órgãos de controle daquele país que GRAMPEARAM a PETROBRAS e a PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL durante anos, o resultado é estarrecedor:

10.1 - ALBERTO YOSSEFF, doleiro corrupto e bandido contumaz, que deveria estar preso mas, apesar de reincidente, recebeu todas as benesses de uma nova delação premiada, manteve boa parte de seu grande e patrimônio ilícito e responde em liberdade por seus crimes, tendo se tornado uma espécie de DELATOR PESSOAL do 'juizmoro';

10.2 - Quase todas as grandes empreiteiras nacionais estão com seus diretores e presidentes presos preventivamente há pelo menos um ano. Centenas de obras foram paralisadas e milhões de trabalhadores foram lançados ao desemprego, jogando o país numa crise sem precedentes, cujas causas são muito mais políticas e internas do que econômicas e externas A referida "Operação" foi criada com o objetivo único de culpabilizar e criminalizar o PT e as políticas sociais que fizeram o BRASIL e o Presidente LULA respeitados em âmbito internacional - levou o país de 14a a 5a. economia do mundo, numa situação de pleno emprego, em pouco mais de 10 anos de governos progressistas ;

10.3 - A cadeia produtiva da PETROBRAS, que respondia por 13% do PIB nacional, até 2014, foi quebrada e a empresa corre sérios riscos de ser fatiada e privatizada, assim como o Pré-sal - que ela descobriu com tecnologia própria -, e muitos de seus valiosos ativos estão sendo leiloados a preço de banana pelo novo presidente da Petrobras, Pedro Parente, que já foi Ministro de 'FDP, digo, fhc' nos tempos da PRIVATARIA TUCANA;

10.4 - A indústria naval e a indústria aeroespacial foram destruídas, bem como foi destruído o Projeto Nuclear Brasileiro, com a prisão irresponsável e injustificável do Almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva, responsável pelo desenvolvimento de método revolucionário de beneficiamento de urânio, no qual os EUA tem grande interesse;

10.5 - Os políticos mais delatados, até agora, na Lava-Jato do 'juizmoro' são, notoriamente, membros do PSDB, PMDB e PP, que são inúmeros e permanecem intocados. Esta malta de delatados que 'não vem ao caso', por sua vez, uniram-se num conluio macabro para derrubar a Presidente eleita através de um GOLPE DE ESTADO farsesco e circense absurdo, e tomar o Poder no País, e há graves suspeitas de que assassinaram o Ministro TEORI ZAVASCKI, que já havia anunciado que levaria a julgamento TODOS os envolvidos no esquema de desvio investigado pela LAVA-JATO, que hoje querem abafar;

10.6 - Só quem foi para a cadeia até o momento foram o costas largas ZÉ DIRCEU (novamente sem provas e acusado dos mesmos crimes pelos quais foi absurdamente condenado sem provas na AP-470) e João Vaccari Neto, ex-tesoureiro do PT, mesmo tendo apresentado toda a contabilidade das doações recebidas pelo partido nas campanhas de 2010 e 2014;
James Fricke - 25/04/2017

Criminosos aprovam a morte da aposentadoria do povo brasileiro
















































"Fora Temer" fora de moda e é defensivo. 
 Tem que ser "Cadeia para Temer e sua quadrilha "


JUIZ TUCANO O GLOBOMORO







































POR ISSO NÃO PRENDE UM MEMBRO DO PSDB

O passado obscuro do procurador Carlos Fernando dos Santos Lima. Por Carlos Fernandes


O espetáculo midiático em que se transformou a condução coercitiva do ex-presidente Lula apenas um dia após o “furo” da revista IstoÉ, finalmente deixou escancarado o que todos já sabiam: o alvo principal da Lava Jato é, e sempre foi, o maior líder popular do Brasil.
Se antes os procuradores que coordenam os trabalhos da Lava Jato tergiversavam utilizando argumentos republicanos como o de que a operação não investiga pessoas mas fatos, a impressão que ficou na entrevista dada pelo MPF é que já nem mais investigam Lula, a sua culpa já foi decretada. Provas para os procuradores são detalhes insignificantes.
Aliás, chegou a ser emblemática a decepção do procurador ao afirmar que os mandatos de busca e apreensão efetuados na casa de Lula e no seu Instituto teriam sido prejudicados justamente em função do vazamento da operação pela imprensa.
O que ele chama de “prejudicado” é o fato de basicamente não terem encontrado nada de relevante que amparasse o linchamento da mídia e a condenação prévia de seu seqüestrado.
Se a operação foi “prejudicada” por vazamentos ilegais de mandatos sigilosos divulgados na grande mídia, não seria o caso desses mesmos procuradores e do juiz Sérgio Moro abrirem inquérito para apurar os vazamentos? Imagina. Tolice.
Em se tratando de política e poder, quem acredita em coincidências acredita em fadas e duendes. Até o mais ingênuo dos “inocentes úteis” já sabe do escandaloso consórcio formado pela PF, MPF, Sérgio Moro e a grande imprensa brasileira.
Toda a operação seguiu um rigoroso esquema previamente combinado com os grandes veículos de informação dominados por meia dúzia de famílias. Incrível como quando o assunto é fama, dinheiro e um projeto de poder, as antigas “diferenças” entre a mídia familiar e suas vítimas, e vice-versa, são oportunamente esquecidas.
Ironia das ironias, a mesma revista IstoÉ que preparou o terreno para a grande atuação de Santos Lima e a força tarefa da Lava Jato, no passado não compartilhava da mesma admiração que hoje imputa a um dos atuais mosqueteiros no combate à corrupção.
Em setembro de 2003 a IstoÉ publicou uma matéria sobre Santos Lima cujo título é no mínimo inspirador: “Raposa no galinheiro”. O subtítulo emenda: “Procurador Santos Lima, casado com ex-funcionária do Banestado, tentou barrar quebra de sigilo de contas suspeitas”.
A matéria assinada pelos jornalistas Amaury Ribeiro Jr. e Osmar de Freitas Jr. deixaria o mais ávido “paneleiro” decepcionado, isso se a sua causa realmente fosse o combate à corrupção.
A denúncia ocorreu quando uma comissão de autoridades brasileiras encarregadas de apurar o escândalo do Banestado foi até os EUA em busca de provas e documentos sobre lavagem de dinheiro e remessas ilegais de recursos para o exterior.
Segundo os jornalistas, o procurador Santos Lima tentou de todas as maneiras impedir que os “preciosos documentos” fossem entregues aos membros da CPI. A matéria conta que a atuação do procurador causou constrangimento tanto na delegação brasileira quanto nas autoridades dos Estados Unidos. Nas palavras de um dos americanos: “Foi insólito”.
Como sabemos, o caso Banestado nunca foi devidamente esclarecido. A grande imprensa na era FHC não se dedicava exatamente à investigação de suspeitas de corrupção no governo.
O que realmente sabemos agora é sobre as rédeas de quem a operação Lava Jato está sendo conduzida.
http://www.diariodocentrodomundo.com.br